Conheça aqui as verdades e os mitos sobre pedra nos rins - Instituto Lithos

Conheça aqui as verdades e os mitos sobre pedra nos rins

Nefrologista e urologista: entenda as funções de cada profissional
11 de abril de 2018
4 hábitos que você precisa adotar para manter a saúde dos rins
25 de abril de 2018
Show all

Conheça aqui as verdades e os mitos sobre pedra nos rins

Quando ouvimos comentários sobre a formação dos cálculos renais, temos a impressão de que muitos dos nossos hábitos alimentares e a rotina no geral, podem tanto nos ajudar a prevenir o surgimento deles, como também podem contribuir para o risco do desenvolvimento das pedras.

Neste post, faremos um resumo sobre algumas verdades e invenções que circulam tanto nas redes sociais, como em conversas informais no nosso cotidiano. Não deixe de conferir!

O que é pedra nos rins?

Cálculos renais ou popularmente chamado de pedras nos rins, são a formação de um ou mais cálculos, através de um desequilíbrio entre a quantidade de líquido e o acúmulo de sais minerais presentes no trato urinário. Quando o cálculo não é grande, ele poderá ser expelido de forma assintomática do corpo na urina, ou poderá ficar alojado em determinada parte do rim, sem causar danos ou sintomas.

Porém, algumas vezes esses cálculos, mesmo que de pequeno tamanho, podem se desprender dos cálices renais, onde são formados, e se deslocar em direção à pelve renal e ureter, ocasionando obstrução do fluxo urinário nesses locais e dores muito fortes na região lombar.

Existem vário fatores que contribuem para a formação dos diversos tipos de cálculos no trato urinário, sendo os maus hábitos alimentares e o fator genético, os mais importantes para desencadear a formação dos mesmos.

Alguns mitos e verdades sobre pedra nos rins

A crença de que alguns alimentos influenciam para o surgimento de cálculos, assim como a baixa idade — no caso de crianças — sendo um fator para a não aparição dos cálculos, são capazes de nos confundir, dando falsas impressões sobre o assunto. Alguns alimentos são realmente capazes tanto de ajudar, como facilitar o surgimento dos cálculos, assim como alguns estilos de vida podem provocar aparição dos mesmos. Listamos, aqui, alguns mitos e verdades, que frequentemente comentados no dia a dia, que podem ajudar ou não na formação do cálculo renal.

1. Leite

Mito. Ouve-se muito que beber leite frequentemente deve ser evitado, porque tem cálcio na composição e pode provocar o surgimento dos cálculos. Apesar de o cálculo renal conter muitas vezes cálcio em sua composição, sabe-se que não é apenas uma taxa elevada deste mineral —  que é muito encontrado no leite e derivados — que determinará sozinha sua formação. O leite em uma quantia certa só trará benefícios.

Nos últimos anos, especialistas afirmam que na verdade o cálcio ajuda a evitar a doença, porque a ausência dele no organismo aumenta a concentração de oxalato na urina, substância que ajuda na formação do cálculo.

2. Sementes de tomate

Outra inverdade, não há absolutamente nada — até o momento — que ligue o desenvolvimento de pedras renais com sementes ou caroços em geral para que começarmos a ficar preocupado com a ingestão deste alimento.

3. Obesidade facilita na formação de pedras

Verdade. Tanto a obesidade como a síndrome metabólica (associação de várias doenças, como diabetes melitus, hipertensão arterial e obesidade), estão associadas ao surgimento de cálculos no aparelho urinário. O risco pode aumentar em até 50% em paciente com IMC (índice de massa corpórea) acima de 30.

4. Beber bastante água evita a formação de cálculo renal.

Sim, verdade. Possivelmente esse seja o principal método na prevenção da litíase urinária. A urina é responsável pela eliminação dos sais minerais no corpo. A quantia recomendável — não de uma vez só — é de 2 litros a 3 litros por dia. A pouca ingestão de água, faz com que a urina se concentre, facilitando que os cristais se condensem e formem o cálculo.

5. Consumo de carne aumenta os riscos de cálculos renais

Infelizmente, verdade. Alimentos que são ricos na proteína animal, especialmente os mais salgados, elevam — e muito — a quantidade de aminoácidos e sódio no organismo, que facilitam a formação de cálculos, principalmente os de cálcio e ácido úrico.

6. Crianças podem ter pedras nos rins

Outra verdade. Mesmo que os cálculos renais estejam mais presentes em pessoas de uma faixa etária — normalmente entre os 20 anos e os 50 anos de idade —, eles também podem aparecer nas crianças. O surgimento na infância tem uma boa probabilidade de estar ligado ao fator genético, passado dos familiares para o indivíduo.

Com a enorme quantidade de informações disponíveis na internet sobre o tema, resumimos aqui alguns mitos sobre pedra nos rins, trazendo também questões verdadeiras para elucidar o leitor na busca pela verdade sobre o tema. Vale ressaltar que o importante é manter uma rotina com muita água, e não deixar de consultar seu médico sobre o tema!

Gostou deste post que trouxemos até você? não deixe de conferir aqui dicas de como saber se aquela dor na região lombar é provocada pelo cálculo renal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *