Como saber se a dor intensa na região lombar é um cálculo renal? - Instituto Lithos

Como saber se a dor intensa na região lombar é um cálculo renal?

gravidez mãe
Como saber se a gestante sofre com pedra nos rins? Saiba mais sobre os sintomas, causas e tratamento.
12 de dezembro de 2017
Descubra aqui como é feito o diagnóstico de cálculo renal
8 de março de 2018
Show all

Como saber se a dor intensa na região lombar é um cálculo renal?

calculo renal região lombar

Quem não conhece uma pessoa que já sofreu com dor nas costas? Um incômodo que atrapalha as atividades diárias, incluindo trabalho ou lazer, é suficiente para deixar qualquer um apreensivo. Uma em cada dez pessoas já sentiu dor na lombar. Mas o que muitas pessoas não sabem é que esse mal pode ser cálculo renal. É fundamental que você saiba distinguir a dor lombar causada por pedra nos rins daquela causada por doenças na coluna e musculatura da região. Antes de se preocupar com sua saúde, acompanhe nossas informações para saber se a dor é renal ou na coluna.

Um primeiro importante sintoma é que a cólica renal é unilateral, ou seja, ocorre em um dos lados das costas e aparece repentinamente. A dor é muito forte e vai piorando com o tempo, impedindo que o paciente ande, deite ou sente. Não há uma posição que ajude a acalmar a dor e podem surgir vômitos, náuseas e sangue na urina. Diferente da dor renal, a de coluna ou musculatura é sentida nos dois lados da região lombar e, na maioria das vezes, piora ao movimenta-se e melhora com repouso.

Quando o cálculo sai do rim, obstrui o canal urinário, também chamado de ureter, causando uma dor lombar intensa que irradia para a região lateral do abdômen e, muitas vezes, para a virilha e região genital.

Às vezes, a dor pode acalmar com analgésicos, porém o cálculo continuará obstruindo o canal urinário. Os médicos recomendam que o paciente procure ajuda médica, pois a demora em desobstruir o ureter pode deixar sequelas nos rins. O analgésico apenas disfarça o problema e o uso contínuo desse medicamento pode causar danos à saúde, como causar sangramento e lesão renal.

Outra dica para identificar a diferença entre as dores é que a dor de coluna na grande maioria das vezes se origina no músculo-esquelético da lombar, conhecida como lombalgia. Esse tipo de dor piora com os movimentos e determinadas posições, e pode causar rigidez nos músculos da coluna. O alivio do incômodo vem com o repouso.

A dor na coluna também pode irradiar para as pernas, podendo atingir os joelhos. Existe, ainda, a possibilidade de causar fraqueza muscular nos pés e perda de sensibilidade em um dos membros inferiores. Esse tipo de mal pode durar meses ou anos e não apresentam outros sintomas, como vômitos ou náuseas.

E todo cálculo renal causa dor?

Há casos de pacientes que vivem durante muitos anos, sem saber que têm pedra nos rins. A descoberta ocorre por acaso, por meio de algum exame feito com outro objetivo. Isso porque, inicialmente, o cálculo não causa dor, sendo chamado pelos médicos de assintomático. A cólica renal pode ter três fases:

  1. A dor inicia-se repentinamente e entre uma ou duas horas atinge seu pico de intensidade.
  2. A dor intensa permanece em média até quatro horas, deixando o paciente com incômodo extremo.
  3. E a dor começa a aliviar até sumir espontaneamente.

A dor ocorre quando os cálculos vão para a parte central do rim, onde estão os tubos coletores, a pelve renal e para os ureteres, causando a cólica renal. Também pode ocorrer quando houver obstrução da urina, provocando a dilatação do sistema urinário.

Mas não pense que o fato de algumas pessoas não apresentarem dor ser algo positivo. Para alguns pacientes assintomáticos, a ausência da dor é muito perigosa.

O cálculo renal pode se formar e se alojar no ureter, obstruir a urina e comprometendo o funcionamento do rim, por exemplo. Como não sente dor, o paciente só descobre quando a doença atinge um nível muito grave, que pode provocar a perda ou destruição do tecido renal. Além disso, quando ocorre infecção urinária, a presença do cálculo pode indicar quadro de infecção generalizada com risco de morte para o paciente.

Quatro sinais de gravidade da cólica renal

Você está com uma dor forte? Calma! Dor é um indicio de que algo está errado. Existem quatro sinais de que essa dor pode ser grave:

  • A cólica ocorre por mais de 72 horas;
  • Obstrução dos ureteres dos dois lados;
  • Obstrução do ureter nos pacientes com único rim;
  • Caso de infecção urinária grave.

Para os pacientes que apresentam esse quadro, os médicos orientam a retirada da pedra com urgência. Caso haja algum impedimento, como uma situação que envolva uma grávida, é feita a drenagem via urinária para que não ocorram complicações nos rins.

Dor nos rins na gravidez

A gestação é uma fase especial para todas as mulheres. É um período transformador com todas suas alegrias e dificuldades. Tudo é sonho, mas de repente, você começa a sentir um desconforto acompanhado de dor intensa que se manifesta nas costas, mas também irradia na frente do abdômen, e fica pior com o passar do tempo.

Para entender o contexto, é preciso ter em mente que a dor no período gestacional raramente tem relação com as alterações renais. Normalmente, a dor na região correspondente aos rins, na gravidez, é ocasionada por transformações na coluna, provocadas pelo esforço que a gestante faz pelo peso da barriga. Porém, é preciso ficar atenta a qualquer manifestação diferente. Se sentir, por exemplo, dor ao urinar, é importante consultar o ginecologista para identificar a causa do problema e evitar complicações.

 Como tratar a dor renal

Você sabe o que fazer durante uma crise renal? É muito importante entender como agir nesse momento de dor intensa para conseguir alivio rápido.

Para aliviar a dor, os médicos recomendam o uso de medicamentos por via oral, em comprimidos ou injetáveis, como analgésicos, antiespasmódicos e anti-inflamatórios injetáveis. No caso das gestantes, o uso desses medicamentos deve ser controlado, assim como, as intervenções cirúrgicas, que precisam ser evitadas.

É aconselhado que o paciente com pedra nos rins beba entre dois e três litros de líquidos por dia. A hidratação é fundamental durante e depois da crise, para facilitar a eliminação da pedra, já que estimula a formação de urina e o funcionamento dos rins.

Relaxar e descansar são duas coisas importantes neste período. Deitar confortavelmente com os pés erguidos fará com que a dor amenize e os pés desinchem.

É importante lembrar que uma boa alimentação e hidratação devem se tornar parte da rotina diária durante toda a vida. É essencial manter esses cuidados, principalmente se você já teve pedra nos rins. Pesquisas dizem que aqueles que já tiveram cálculos renais têm 40% de chances de ter novamente em cinco anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *